Postagem em destaque

Autoeficácia nas palavras do próprio Albert Bandura

Este artigo traduzido faz parte dos meus estudos de doutorado. Ele fornece um referencial teórico importante para estudantes e professores...

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Minha tese de doutorado, finalmente



Após um longo e difícil processo de realização, redação e correção, devido às dificuldades inerentes ao fato de estar morando em outro país, finalmente foi publicada a minha Tese de Doutorado, sobre a adaptação transcultural e a obtenção de evidências de validade de um instrumento de avaliação das escolhas profissionais de futuros médicos. Espero que essa Tese possa contribuir para a compreensão das razões que levam os estudantes de Medicina a escolherem suas metas profissionais e que forneça evidências capazes de fornecer subsídios para ações que contribuam para a melhoria da atenção à saúde no Brasil.






Esta é a capa!



O papel da autoeficácia para a realização da escolha mostrou-se preponderante. Em segundo lugar, chamou-me a atenção o paradoxo entre as expectativas de resultado profissionais e as expectativas de resultado em relação ao estilo de vida. Aparentemente, há um "trade-off", no qual os estudantes sabem que péssimas condições de trabalho lhes aguardam - eles não parecem nutrir ilusões em relação a isso; o que seria compensado pela perspectiva de um melhor estilo de vida.




Não fico triste em saber que a expectativa de resultados materiais tem impacto sobre as metas. Todo ser humano precisa de incentivos e esses incentivos passam pelo retorno material e financeiro - o que, diga-se de passagem, nunca foi tão ruim como neste momento, no qual o valor do trabalho médico nunca foi tão aviltado.




O que mais me chocou e entristeceu foram as expectativas de resultado profissionais, negativas e sem influência significativa sobre as metas. Os resultados da Tese permitem sugerir que aparentemente, as condições de trabalho péssimas são consideradas algo imutável, perene, ao qual os futuros profissionais já se habituaram como "fato da vida", contra o qual nada podem fazer. Uma lástima. Talvez resultado de muito proselitismo e pouco pragmatismo nas escolas médicas? Talvez.




Entre tantos agradecimentos indispensáveis, vale aqui o reconhecimento especial dos esforços persistentes da minha orientadora, Prof. Ana Paula Noronha, dos meus pais, da minha esposa, e dos alunos do curso de graduação em Medicina da UNICID, entre tantas outras pessoas que, de uma forma ou de outra, deram sua contribuição nessa jornada.


Fica aqui o registro do meu amor e da minha gratidão a todos vocês. Confesso que já sinto uma certa saudade da Universidade São Francisco. e do corpo docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia.


Com a finalização do doutorado e a vida de professor em outro país, incluindo a necessidade de ter que aprender outra língua, foi bem difícil atualizar este blog como eu desejava nos últimos três anos. E talvez continue a sê-lo. Não sei se voltarei a escrever na mesma frequência de antes.


Várias vezes pensei em fechar o blog por não poder mais atualizá-lo como gostaria. Todavia, quando vejo que ele está perto de fazer 250.000 visitas, e que ele é visitado por pessoas de muitos países onde o acesso a esse tipo de informação não é tão fácil, percebo que devo mantê-lo no ar. Tenho respondido algumas perguntas pelos comentários aqui no blog sempre que possível, não sem alguma demora, é verdade, mas espero contar com a compreensão de vocês. Foi por uma boa causa. Escrevam nos comentários algum tema que vocês gostariam que eu escrevesse pra vocês.






O arquivo com a Tese e todos os devidos agradecimentos pode ser obtido no link abaixo.






http://www.usf.edu.br/galeria/getImage/427/6721999546973975.pdf






Um abraço,






CFC





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...