Postagem em destaque

Autoeficácia nas palavras do próprio Albert Bandura

Este artigo traduzido faz parte dos meus estudos de doutorado. Ele fornece um referencial teórico importante para estudantes e professores...

terça-feira, 13 de setembro de 2011

O que diferencia uma análise fatorial exploratoria de uma confirmatória

A análise fatorial exploratória analisa o padrão de correlações existentes entre as variáveis e utiliza esses padrões de correlações para agrupar suas variáveis em fatores, os quais são variáveis não-observadas que você pretende medir a partir das variáveis observadas. Você pode especificar se você quer uma rotação ortogonal (pretendendo que não haja correlação entre os fatores, como a rotação varimax), ou uma rotação oblíqua (na qual você assume a existência de correlação entre os fatores, como a rotação oblimin). Geralmente se pressupõe correlação entre os fatores e, por isso, rotações oblíquas são preferidas.

Já a análise fatorial confirmatória parte da premissa que você já tenha uma teoria sobre quais variáveis medem quais fatores (também conhecidos como construtos na Psicologia) e que você quer confirmar o grau de ajuste dos dados observados à teoria que você hipotetizou. Para isso utiliza-se a modelagem de equações estruturais, na qual as relações entre variáveis observadas e fatores é modelado em uma série de regressões lineares, utilizando para isso uma matriz de covariâncias. Você pode rever seu modelo teórico e mudá-lo, ligando construtos e variáveis de outras formas.

Prefiro a análise fatorial confirmatória. Não tem no SPSS, mas tem no AMOS, que é bem fácil de usar. Você também pode usar o MPlus, que carece de uma boa parte gráfica, mas é superior em termos de estimação dos parâmetros modelados.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...