Postagem em destaque

Autoeficácia nas palavras do próprio Albert Bandura

Este artigo traduzido faz parte dos meus estudos de doutorado. Ele fornece um referencial teórico importante para estudantes e professores...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Quando suspeitar de lesão hepática por Amanita? Quais as características e como proceder mediante uma intoxicação dessas?

A Amanita tem um longo, longo histórico de utilização pela humanidade, algo comprovado por meio de muitas evidências que o associam às religiões, ao misticismo, ao transcendente e à simbologia. Enfim, um forte enteógeno (i.e.: que possui a propriedade de gerar o "divino"). Mas isso você já deve saber, né?

Procure uma síndrome anticolinérgica com todas as suas caracteristicas (lembre-se das alucinações com boca seca, taquicardia, redução de ruídos hidroaéreos, retenção urinária e pupilas fixas - antagonismo nos receptores colinérgicos muscarínicos dos mm. constritores da íris que ocorre também em todos os outros músculos lisos e glãndulas exócrinas). Para o tratamento, dê diazepam 0,05 a 0,2mg/kg EV em bolus lento (1 a 2 min). Repita-o conforme a necessidade, sob monitorização se possível e/ou necessário. Esteja preparado para suporte intensivo, incluindo intubação orotraqueal e ventilação mecânica se houver queda de saturação ou pressão arterial. Há risco de hipertensão apesar de toda a vasodilatação periférica. Enfim, suporte, incluindo os exames de função hepática. Geralmente a lesão hepática será decorrente de Amanita phalloides, e não de Amanita muscaria, devido à ação hepatotóxica da phallotoxina ser mais necrótica que outras amatoxinas, como a amanitina, mais associada à esteatose. Elevação de AST e ALT pode ultrapassar 15000 (prefiro os velhos TGO/TGP, sou velho). Anemia e hiperbilirrubinemia são esperados. Histopalogicamente o fígado terá esteatose e/ou necrose zona 3, mas o grau de lesão varia muito entre os casos.

Percebam que isso torna o prognóstico extremamente reservado. O pior é que muitas pessoas consomem outros tipos de cogumelos por não serem capazes de identificar a Amanita muscaria.

Por isso, cuidado com os cogumelos serotoninérgicos, sequelantes, gangrenantes e potencialmente fatais.

Além desses 2 tipos de cogumelos que citei acima, há pelo menos outros 6 tipos de quadro clínico associado a ingestão de cogumelos. Pelo menos 2 deles são potencialmente fatais.

Quer dizer... Coisa de louco de outro planeta...

Ask me anything

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...