Postagem em destaque

Autoeficácia nas palavras do próprio Albert Bandura

Este artigo traduzido faz parte dos meus estudos de doutorado. Ele fornece um referencial teórico importante para estudantes e professores...

terça-feira, 7 de julho de 2009

Criminosos

Recebi da Helô e repasso para vocês terem uma idéia do nível que está a produção agrícola brasileira... Seus lucros estão sugando a saúde da população. 25 milhões de litros de agrotóxico adulterado que iriam para a sua mesa.

Prezados, Segue o link da notícia sobre a última peripécia da novela “Fabricantes de Defensivos agrícolas”. O produto que deu origem à inspeção foi o PODOS (que não estaria em produção na fábrica; soubemos depois que os reservatórios estavam cheios – confirmação gravada na ANVISA). Os outros foram identificados durante a fiscalização. A análise do processo para registro por um técnico da Gerência Geral de Toxicologia da ANVISA mostrou dados um tanto quanto confusos e a Gerência decidiu verificar. O que foi achado nas análises químicas e nos documentos da empresa não é o declarado nos processos de avaliação toxicológica que permite ou não a comercialização dos produtos.O jornalista não informou sobre os riscos que correm os trabalhadores rurais e as pessoas que consomem alimentos com resíduos desses produtos, como as neuropatias periféricas, pseudoparkinsonismo, falência respiratória, alterações hepáticas e renais, câncer, distúrbios na reprodução (anomalias em testículos, abortos precoces, malformações fetais), etc.Os termos da lei que chama essas empresas de produtoras de agrotóxicos é mais realista. Agradecemos o apoio.

Heloísa.

Operação simultânea da Anvisa e Polícia Federal apreende 2,5 milhões de litros de agrotóxico adulterado

Operação simultânea da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e Polícia Federal apreendeu 2,5 milhões de litros de agrotóxicos adulterados em Londrina (PR) e Taquari (RS), nesta quarta (1) e quinta-feira (2). A ação também interditou a linha de produção de cinco agrotóxicos da empresa Milenia Agrociencias S/A, filial do grupo israelense Makhteshim Agan.Durante a ação, deflagrada simultaneamente nas duas cidades da região Sul, foi constatado que os agrotóxicos Herbimix®, Pyrinex®, Posmil®, Trop® e Podos® eram com adulteração na fórmula, sem autorização.A ANVISA apreendeu, ainda, os documentos com a ordem de produção desses produtos.A interdição é valida por 90 dias, prazo em que os produtos não poderão ser comercializados. A Milenia Agrociencias S/A terá cinco dias para apresentar contraprova.

Investigação

As investigações, que resultaram na operação, começaram a partir de denúncia a respeito da adulteração do agrotóxico Podos®. Antes da ação, a ANVISA colheu amostras do produto no mercado e encaminhou para análise da Polícia Federal e do Instituto Adolfo Lutz. A perícia detectou que o Podos® era comercializado com formulação tóxica acima do permitido. O produto é registrado no Ministério da Agricultura mediante avaliação toxicológica efetuada pela ANVISA com padrões toxicológicos de classe III, ou seja, medianamente tóxico. O material colhido no mercado apresentou teores de toxicidade de classe I, isso é: extremamente tóxico.Com a formulação encontrada no mercado, esse produto pode causar, nos trabalhadores rurais que manipulam o agrotóxico, irritação irreversível da córnea e cegueira.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...